Perca o medo do tratamento de canal

Falar sobre tratamento de canal te causa arrepios? Então este conteúdo foi feito para você! Sente-se, fique confortável e se sirva de uma boa leitura. 

O tratamento de canal é realizado quando problemas afetam de forma irreversível o interior do dente, ou seja, a polpa. 

Esses problemas provocam dores até a eventual morte da raiz. 

Como é feito um tratamento de canal?

O tratamento de canal consiste na remoção da polpa do dente, mais conhecida como nervo, localizada do ápice da raiz dentária até a porção coronária. 

Essa estrutura é removida e, depois, a cavidade é limpa e preenchida por um material que ocupa todo o interior da raiz do dente.

Esse tipo de tratamento é necessário em casos de cáries muito profundas ou quando ocorre um trauma e o dente acaba escurecendo.

Como o procedimento é bem complexo e o dente é muito desgastado, pode ocorrer um enfraquecimento da estrutura dentária e para evitar isso, é necessário procurar profissionais realmente qualificados para realizar o procedimento. 

O dente que passa pelo tratamento de canal não vai mais sentir dor ou sensações térmicas, por isso a higiene deve ser redobrada para evitar cáries.

Endodontia

Por que o canal dói tanto?

Vamos lá, o que realmente está doendo é o procedimento ou a inflamação anterior ao início do tratamento?

Geralmente, pacientes buscam o consultório somente quando o dente se encontra em um quadro grave de infecção e que torna-se impossível lidar com a dor.

Por isso, ao chegarem no consultório com a sensibilidade elevada, julgam que a anestesia é fraca e não pega ou que o profissional é indelicado e não entende o quadro de dor. 

Mas, acredite, nós entendemos. 

A dor provocada pela polpa inflamada é horrível e por isso, fazemos o nosso melhor com as técnicas que possuímos, para assim que se inicia o procedimento, o paciente não sinta mais dor. 

A anestesia é aplicada, aguarda-se o tempo necessário e muitas vezes nem iniciamos o tratamento antes que a infecção tenha diminuído, logo, remédios podem ser utilizados para diminuir a infecção e assim poder dar continuidade ao tratamento. 

E uma vez que a polpa é retirada, o desconforto com o tratamento é apenas em relação à fricção provocada pela limpeza e inserção do material. 

Qualquer dor e sensibilidade leve passa com a indicação dos medicamentos e repouso em poucos dias. 

Após isso, com uma higiene adequada é possível manter o dente ainda por muitos anos. 

Viu? O tratamento de canal é seguro e eficaz!

As chances de sucesso de um tratamento de canal é de 90%, logo, ele é seguro e eficaz se realizado por um endodontista e se o paciente segue as recomendações para o pós-tratamento.

E quais são essas recomendações?

  • É importante escovar os dentes e manter a higiene bucal habitual;
  • Evitar mastigar no lugar, principalmente alimentos duros e pegajosos durante as primeiras semanas;
  • Como a região está sensível, é necessário também evitar alimentos duros na alimentação em geral durante os primeiros dias, pois pode danificar o local do tratamento bem como os dentes vizinhos, mesmo que sem querer;
  • Evitar alimentos muito quentes ou muito gelados também é importante, pois com a sensibilidade elevada pode provocar reações dolorosas.

Tenho um dentista perto de mim, mas ainda tenho medo (5 dicas para vencer a ansiedade)

Sinto dor depois do tratamento de canal, o que devo fazer?

É importante sermos realistas e ressaltar que um segundo tratamento de canal pode ser necessário em casos em que algo aconteceu com o canal e ainda causa dor. 

Porém, é necessário identificar se a dor é passageira e parte do processo natural de cicatrização ou se há um outro fator por trás. 

Por isso, procure o endodontista responsável pelo tratamento e investigue a origem da dor. 

Ele pode receitar mais alguns remédios e solicitar que aguarde mais alguns dias para analisar a melhor abordagem.

Os prováveis motivos por trás da possível dor após o tratamento de canal são vários, entre eles:

  • A infecção que atingiu o osso de sustentação do dente (isso ocorre, na maioria dos casos, quando o paciente demora demais para procurar o endodontista ou quando acontece algum trauma ou pancada na região);
  • Há algum canal secundário que não foi visto e não foi tratado pelo dentista (esses casos são mais comuns quando o paciente não busca um profissional endodontista e ele não possui a responsabilidade necessária e habilidade para analisar o dente de forma completa);
  • Restaurações mal-feitas ou alimentos duros que causaram sobrecarga da estrutura antes do fim do período de recuperação. 

Em qualquer um dos casos é importante procurar o endodontista imediatamente para que ele analise a melhor abordagem e a melhor forma de tratamento.

Cuidados com curativo no dente

Os benefícios da Dentística

Nós já falamos aqui sobre o que é dentística e você pode conferir um resuminho básico, clicando aqui  , mas mais do que aquele simples resumo, a dentística é uma área de estudo e de ação dentro da odontologia que mudou o modo como vemos o tratamento dentário.

O que é dentística

Uma das grandes e principais preocupações de quem precisa ir ao dentista é saber se o sorriso vai continuar ou voltar a ser harmonioso, bonito e saudável. Porque, afinal, ninguém quer passar pelo consultório e sair de lá sem coragem de sorrir, não é mesmo?

Agora, lembre-se daquelas restaurações com amálgama, que mais pareciam uma placa cinza de alumínio nos dentes. Eram eficientes, mas nada agradável para quem queria sorrir e tinha aquele medo de chamar a atenção para o contraste do material em sua boca.

Também vale citar o tratamento com aparelho ortodôntico, que antes apavorava as pessoas só de se imaginarem colocando aquela estrutura. 

A vantagem de que o sorriso seria restabelecido era ofuscada pelo medo das dores e desconfortos além das piadas que, infelizmente, muitos adolescentes ouviram na escola. 

O resultado disso? Muitas pessoas passavam longe da porta da clínica odontológica. 

Aí surgiu a dentística, resultado dos esforços de inúmeros profissionais para aliar a saúde com a beleza e o bem-estar.

 Dentística restauradora

Como já falamos anteriormente aqui mesmo em nosso site, a dentística restauradora veio para (literalmente) restaurar o sorriso. Ela é a grande responsável pela criação das restaurações com resina, substitutas da cinza e escura amálgama. 

A qualidade se manteve e a aparência foi modificada para ser a mais próxima da natural do dente, você pode reparar bem que nem dá pra notar uma restauração feita com este material. É confiança que queremos para você sorrir sem medo. 

Dentística estética

O sorriso amarelado tira a nossa confiança, não é mesmo? Manchas, então, podem tirar toda a alegria de uma pessoa. 

É para esses casos que existe a dentística estética. Dentro dela nós podemos encontrar procedimentos famosos e muito bem recomendados por dentistas em todo mundo. Tais procedimentos promovem saúde e além disso devolvem a vontade de sorrir.

É um investimento para você. 

Que procedimentos estão dentro da dentística estética? Vamos agora falar sobre eles. 

Clareamento dental

Uma boa higiene bucal é essencial para manter a saúde e a cor natural dos dentes, mas ela não consegue clarear os mesmos.

Lembrando que clareamento dental é diferente de limpeza dental.

O clareamento é feito com um produto que age modificando a tonalidade dos dentes, enquanto a limpeza promove a remoção de placas que não conseguimos tirar com a escovação diária.

Existem dois tipos de clareamento, o feito com laser e o caseiro, todos os dois necessitam de acompanhamento de um dentista. Eles podem ser feitos separados, ou um complementando o outro.

 Lentes de contato

Bem diferente das lentes de contato que utilizamos em nossos olhos, as lentes de contato dental são indicadas para pacientes que possuem algum tipo de alteração de forma, cor e/ou tamanho dos dentes.

Elas são feitas de porcelana e são bem fininhas, também possuem uma grande durabilidade. Cimentadas aos dentes devolvem o sorriso e a autoestima.

Facetas de porcelana

Facetas de porcelana não são a mesma coisa que lentes de contato? Não. 

As facetas são feitas do mesmo material, porém, são mais espessas e elas corrigem bem mais do que apenas a aparência, o dentista pode escolher a faceta de porcelana quando também precisar corrigir espaços e/ ou posicionamento dos dentes.

Gengivoplastia

A gengivoplastia é um procedimento cirúrgico estético que visa remodelar a gengiva saudável, a tornando anatomicamente mais adequada para correta higienização e mais harmoniosa esteticamente. 

Pode estar alinhada ou não com outros procedimentos como a gengivectomia e osteotomia.

Restauração dentária

Todo mundo já conhece ou já fez uma restauração dentária. 

Ela é indicada quando parte do dente é comprometido por cáries, desgaste ou algum acidente leve. É  feita com resina e devolve o sorriso e funcionalidade do dente. 

Benefícios da dentística

O que a dentística pode fazer por você? Tratar o seu dente e ainda devolver sua confiança ao sorrir. 

É incrível os depoimentos que ouvimos de pessoas que tinham medo de realizar tratamentos odontológicos, mas que com os avanços da tecnologia não sentem mais medo de não conseguir sorrir novamente. 

Agora é possível aliar a beleza e a saúde para todos! E ainda por um preço muito realista. 

Isso tudo se deve à dentística. 

Gostou do conteúdo? Conta pra gente sua experiência em nossas redes sociais. O link está logo aqui . Queremos conhecer você! 

 

Tenho um dentista perto de mim, mas ainda tenho medo (5 dicas para vencer a ansiedade)

Tenho um dentista perto de mim, mas ainda tenho medo (5 dicas para

Você pode estar pensando: “tenho um dentista perto de mim, é a oportunidade perfeita para iniciar meu tratamento, mas ainda tenho medo.”

Não se preocupe, reunimos nossa equipe para debater de forma casual e o mais humanizada possível, como podemos ajudar você a ter menos ansiedade na hora de buscar ajuda e realizar o tratamento necessário para preservar a sua saúde. 

Continue a leitura e entenda do que estamos falando.

O que é ansiedade odontológica?

Antes de mais nada é importante entender o que é a ansiedade odontológica e como ela afeta a vida do paciente. 

Traumas do passado, medo de não ver o que está acontecendo e o “barulhinho da maquininha” podem estar por trás do que é conhecido pelo nome de ansiedade odontológica. 

Esse medo às vezes leva as pessoas a passarem anos sem entrar em um consultório para uma simples avaliação sequer, o que prejudica e ainda ajuda o surgimento de doenças bucais. 

Todo esse medo leva a episódios de pânico, suores, insônia e choro que se agravam ainda mais quando estão no consultório do dentista. 

Esse estresse exagerado também leva a dores na nuca, aumento dos batimentos cardíacos e até mesmo elevação da pressão sanguínea. 

É importante também não confundir a ansiedade odontológica com a fobia. 

Nos casos onde a pessoa sente odontofobia, os sintomas são acentuados e ela nem procura o profissional em episódios de dor extrema. 

Nesses casos, somente com diagnóstico e acompanhamento psicológico é que a pessoa consegue buscar ajuda.

Tenho um dentista perto de mim, mas ainda tenho medo (5 dicas para

“Mas o que fazer para criar coragem e marcar uma consulta com um dentista?”

Primeiro, pesquise sobre o profissional que você encontrou perto de você para realizar sua consulta. 

Ao ligar, por exemplo, em qualquer uma de nossas clínicas espalhadas pelo Brasil afora, você pode agendar uma consulta com a segurança de que nenhum procedimento será feito sem sua autorização. 

Você pode vir apenas para conversar com o dentista, conhecer nossa estrutura e ver que pode confiar no nosso método humanizado de atendimento.

1. Obedeça seus próprios limites.

Uma das causas do medo, é o estresse que se coloca em cima da consulta, imaginando que vai ter que aceitar todos os procedimentos logo no primeiro dia. 

Por isso, tranquilize-se, busque ajuda e conheça os limites do seu próprio corpo e mente. Uma vez seguindo o próprio ritmo, será mais fácil não se culpar tanto e buscar ajuda.

2. Converse francamente com o dentista

Ok, agendou a consulta? É hora de fazer uma lista de todos os seus medos e receios. Explique cada um deles para o profissional e converse francamente sobre como gostaria de levar adiante desde a consulta até o tratamento.

Pergunte sobre as opções de anestesia, sobre quais remédios serão administrados, códigos para que ele entenda quando estiver sentindo dor. 

Acredite: se o paciente diz estar sentindo dor e pede para pausar ou para dar um tempo, o dentista será compreensivo e ouvirá você. 

3. Medite e respire profundamente antes de entrar no consultório.

Já te falaram que técnicas de respiração te ajudam a relaxar? Pois é. 

Antes de se sentar na cadeira do consultório, execute exercícios de respiração e aos poucos se liberte da ansiedade. 

Quando perceber, o tratamento já terá iniciado e logo você já poderá voltar para casa.

4. Peça para ouvir uma música.

Muitos consultórios possuem um som ambiente, mas caso não tenha, leve alguma coisa que pode ser ouvida com seu fone de ouvido.

Músicas ajudam a relaxar e amenizar os barulhos indesejáveis dos equipamentos.

5. Confie no dentista que está perto de você.

É realmente muito cômodo iniciar um tratamento com um dentista perto de você. Afinal, você gasta menos tempo para encontrar com ele se algo urgente surgir e pode sempre agendar uma consulta em um horário mais conveniente. 

Além disso, é importante confiar no trabalho do profissional ou da profissional que vai te atender. 

Por isso que a primeira conversa é sempre muito importante para gerar um laço de confiança. Afinal, o dentista quer ver você com saúde e com seu melhor sorriso.

Esperamos ter ajudado com nossas 5 dicas para diminuir a ansiedade na hora de ir buscar o tratamento odontológico. Agora queremos ver você confiante, pensando “agora sim posso procurar o dentista perto de mim e iniciar meu tratamento”

Queremos você bem e com saúde!

Por que o dente quebra?

Já parou para pensar no por que o dente quebra? Não? Continue a leitura e descubra as diversas formas que um dente pode quebrar, como lidar com a situação em um primeiro momento e principalmente: como prevenir.

Antes de mais nada você precisa entender como que funciona a estrutura de um dente. 

Ao contrário do que muitos pensam, dente não é osso. 

Sim, ele possui cálcio e fósforo em sua composição, mas infelizmente não carrega consigo a capacidade regenerativa que os ossos que sustentam o corpo humano possuem.

Quais são as camadas de um dente?

O dente é formado por 4 camadas.

O esmalte é a parte mais dura e que reveste e protege o dente; já a dentina é a segunda camada de proteção, e é ali que dói quando a cárie desmineraliza o esmalte do dente.

A polpa é a terceira camada e é onde ficam as terminações nervosas e vasos sanguíneos.

E o cemento, que é a camada que recobre a raiz e serve como proteção.

Mas por que isso é importante? 

É importante saber sobre as camadas do dente, pois assim é possível identificar o grau de prejuízo e qual será o tratamento necessário.

Como assim? Vamos explicar.

Fraturas de esmalte

Ocorrem quando é atingida a primeira camada do dente, o esmalte.

Nestes casos é feita a regularização da quebra ou uma restauração com resina.

Fraturas de esmalte e dentina

Ocorrem quando é atingida a primeira e a segunda camada do dente, o esmalte e a dentina.

Nestes casos, pode ser realizada a restauração com resina ou a colagem do pedaço do dente.

O pedaço deve ser colocado em soro fisiológico e levado ao consultório em até 24 horas.

Fraturas de esmalte e dentina com comprometimento pulpar

Ocorrem quando é atingida a primeira, segunda e terceira camada do dente: esmalte, dentina e polpa.

Nestes casos, além da restauração ou colagem do pedaço do dente, é necessário primeiramente, um tratamento de canal.

Fraturas da raiz do dente

Ocorrem quando a quebra atinge a raiz.

Nestes casos, na grande maioria das vezes, é necessária a remoção do dente.

Só nos casos onde a quebra acontece no terço apical da raiz, é que dá para tentar manter o dente, fazendo acompanhamentos mensais do mesmo.

Por que o dente quebra, afinal?

Cáries: enfraquecem os dentes, pois as bactérias infiltram, deixam a parte interna amolecida, assim o esmalte perde sustentação e quando vamos morder ele quebra.

Bruxismo: que é o apertar ou ranger dos dentes.

Mordida errada: pois os dentes ficam mal posicionados e atritam em locais onde existe pouca resistência.

Acidentes: quando por algum motivo o dente bate com muita força em alguma estrutura.

Na grande maioria dos casos, manter a saúde bucal é o grande diferencial para que a fratura do dente não ocorra.

Como evitar que os dentes quebrem?

É tudo questão de prevenção, sabia? 

Não podemos prever quando acidentes acontecem, mas podemos manter visitas regulares ao dentista para cuidar da saúde bucal. 

Uma boa alimentação também é essencial para fortalecer nossa imunidade e nossos dentes. 

Gostou da leitura? É importante se manter bem informado e de olho na saúde bucal.

5 curiosidades sobre o sorriso (a última vai surpreender você)

O sorriso é universal e uma das únicas expressões que já nascemos sabendo fazer e reconhecer, não importa o lugar do mundo onde estejamos. 

Essa linguagem tão natural de felicidade é tema do nosso conteúdo de hoje.

Entenda como o sorriso funciona, o quanto ele é contagiante e as melhores curiosidades sobre o sorriso que temos certeza absoluta que você ainda não sabe sobre, mas vai saber agora. Continue a leitura!

O que é o sorriso?

O sorriso, segundo o dicionário, é a expressão em que os lábios expressam alegria, contentamento mas que também podem expressar ironia, malícia, entre outras emoções. 

Ele também pode representar a loucura, a gentileza, maldade e claro, acima de tudo a felicidade. 

Vê? Um sorriso pode ter múltiplos significados mas o que ele tem em comum em todos os lugares do mundo é que é o primeiro sinal de felicidade. 

O nosso corpo responde biologicamente aos estímulos de felicidade através dos músculos do rosto, principalmente boca e olhos. 

E dependendo do nosso grau de felicidade e da quantidade de hormônios produzidos, o nosso corpo chega a movimentar 80 músculos simultaneamente apenas para que possamos curvar os cantos dos nossos lábios para sorrir.

O que acontece quando sorrimos?

Ao sorrir, o nosso corpo liberta betaendorfinas, um relaxante natural que alivia até mesmo dores nas articulações. 

Fora isso, o ato de sorrir pode melhorar a digestão e ainda aumentar a oxigenação dos tecidos. 

E sorrir é tão bom que até mesmo nossas lágrimas (na maioria das vezes relacionadas a tristeza) passam a ter mais imunoglobulinas, um anticorpo que nos protegem de infecções e bactérias em nossos olhos. 

O sorriso é o mesmo em todo lugar do mundo?

O ato de sorrir pode ser considerado falta de respeito em algum lugar do mundo? Infelizmente, sim! Na Rússia, por exemplo, eles podem ser confundidos como antipáticos por nós brasileiros, mas na verdade, eles não possuem o costume de sorrir, mostrando todos os dentes, como nós temos. 

Lá, sorrisos em excesso podem ser considerados vulgares e eles preferem apenas curvar o canto dos lábios em um riso mais contido, simples. 

Até mesmo na representação histórica de algumas pinturas expostas em países como a França e a Espanha, o riso é retratado como sinal de loucura ou de pouca inteligência, relacionado também à classes mais baixas. 

Ou seja, o sorriso também é uma expressão cultural e dependendo do lugar do mundo para onde apontemos, ele pode ter um significado social diferente.

Mas acreditamos que você está aqui para ler curiosidades sobre o sorriso não é mesmo? Vamos a elas a partir de agora.

1. Você sabia que existem 19 tipos de sorrisos?

Segundo uma série de estudos reunidos pela tv norte-americana BBC, os humanos conseguem expressar 19 tipos de sorrisos, porém, apenas 6 deles expressam contentamento genuíno. 

Os sorrisos são classificados em positivos e negativos. 

Entre os positivos estão os de contentamento e emoção, supresa e o de etiqueta, o sorriso namorador e o que expressa sensações genuínas de prazer e alegria: o sorriso Duchenne. 

Entre os negativos estão os de medo e dor (sim, pessoas com dor podem vir a sorrir), o sorriso ao dar uma notícia ruim e o que se conforma com uma notícia assim não tão agradável. 

Tem também dois tipos de sorrisos que classificam o sentimento de desprezo, a maldade e o que compreende uma situação triste, entre outros. 

Para saber todos, você pode acessar esse site aqui e ver com mais detalhes o que cada tipo de sorriso quer dizer.

2. Sorrir é contagioso

Não é difícil fazer alguém sorrir se estivermos sorrindo primeiro. 

Séries e programas de variedade inserem risadas entre importantes momentos para estimular o espectador a sorrir, pois sabem do efeito contagiante do sorriso. 

Da mesma forma, quando ouvimos a risada de um bebê, por exemplo, automaticamente curvamos nossos lábios em um sorriso genuíno. 

Esse é um dos muitos poderes que um sorriso pode ter.

3. Sorrir emagrece

É isso mesmo! Sorrir queima até 40 calorias. 

Além de estimular o bom colesterol, ele promove o movimento da musculatura da face e do abdômen. Por isso que sorrir rejuvenesce, estimula boas substâncias e olha só, ainda é capaz de emagrecer. 

4. Sorrir dá mais prazer que chocolate

Comer chocolate estimula nosso sistema de recompensa e nos dá satisfação e prazer. 

Mas você sabia que sorrir é mais forte do que chocolate ao nos dar boas sensações? Pois é, na próxima vez que for comer aquele delicioso chocolate, sorria e o substitua com muito mais saúde. 

5. Nós podemos identificar sorrisos a 1 km de distância

Essa a gente aposta que você não sabia, mas é verdade!

Sorrisos são tão universais e reconhecíveis que mesmo â distância nós podemos saber se alguém está sorrindo. 

Por isso, dê aquela checada na pessoa que você ama quando ela estiver vindo em sua direção. Se ela estiver rindo, já sabe: é só sorrir de volta e aproveitar os bons momentos!

Limpeza dental clareia os dentes?

O que você entende como sendo limpeza dental? É aquela escovação que todos os dias precisamos fazer 20 minutos após cada alimentação ou aquele procedimento estético que deixa os dentes ainda mais brancos?

Nem um nem outro, a limpeza que vamos tratar hoje aqui neste conteúdo se trata daquela realizada no dentista e que diferentemente da higiene comum, é responsável por prevenir e retirar a placa e o tártaro que a nossa escova e o fio dental não conseguem alcançar.

O que é a limpeza dental?

Primeiramente vamos esclarecer o que é a limpeza dental.

Com o passar dos meses, as bactérias vão se acumulando nos espaços entre o dente e a gengiva. Com uma boa higiene bucal em casa, conseguimos desacelerar o processo de formação da placa, mas aquele dia em que não escovamos ou aquela escovação que foi rápida demais deixa a nossa saúde bucal suscetível a problemas como a gengivite e a cárie.

A limpeza dental vem com técnicas que o dentista utiliza para eliminar de vez a mineralização da placa.

Para complementar a leitura: Cuidados com a sua saúde bucal 

Qual a diferença entre limpeza dental e clareamento?

A limpeza dentária visa literalmente limpar os dentes, preenchendo as lacunas higiênicas que a nossa escovação do dia a dia não consegue suprir.

O clareamento dentário retira manchas e dá uma coloração o máximo possível branco leitoso para o dente, resultado que não é o foco de uma limpeza dentária.

Imagine que a limpeza é uma faxina profunda e profissional em seus dentes, já o clareamento seria como uma reforma decorativa, uma pintura nas paredes de sua casa. Consegue absorver a analogia?

Podemos clarear os dentes só com a escovação?

Não, mas com a escovação é possível sim higienizar os dentes e eles ficam ainda mais limpos e saudáveis, sem risco de desenvolver doenças como cáries e gengivite.

De quantos em quantos meses eu preciso fazer a limpeza no consultório?

O recomendado é que se faça a limpeza dental no consultório odontológico de 6 em 6 meses.

Limpeza dental dói?

A limpeza e a raspagem dental não são feitas para doer. O que pode acontecer é que a pessoa já tem algum probleminha, um início de gengivite ou até mesmo cárie e sensibilidade natural dos dentes.

Nestes casos, a limpeza dentária pode sim causar um leve desconforto.

E aqui vai um lembrete: a “dor” provocada pela limpeza dentária é bem mais leve que a dor de uma doença. Pense nisso antes de desistir ou até mesmo evitar ir ao consultório do seu dentista.

Qual a média de preço de uma limpeza dental?

O valor varia muito de consultório para consultório, da complexidade da limpeza e da sensibilidade do paciente, pois ele pode necessitar de mais de uma sessão para realizar a limpeza e raspagem de todos os dentes.

Segundo o google, a média de preços varia entre R$ 200,00 e até podem chegar a R$1000,00.

Neste último caso, provavelmente, se dá quando o paciente tem outra variante que influencia a complexidade do procedimento.

  • Benefícios de uma limpeza dental:
  • Evita a cárie.
  • Protege a gengiva.
  • Melhora a salivação.
  • Diminui o mau hálito.
  • Previne a periodontite.
  • Ajuda a identificar outros problemas com antecedência.
  • Melhora a relação do paciente com o dentista.
  • Diminui a sensibilidade.

    Limpeza dental clareia os dentes?

A limpeza dental limpa e devolve o aspecto natural do dente. Lembrando que o dente não possui a mesma cor exata que a maioria das propagandas vendem.

Muitos pacientes acabam decepcionados ao fim da limpeza dental pois confundem com o procedimento estético vizinho, mas deixam de reconhecer o real valor de ambos os procedimentos e que eles atendem diferentes expectativas e propósitos.

Você pode contar com a gente!

Essas são algumas das muitas perguntas que os pacientes nos fazem ao realizar uma pesquisa conosco. Por isso, resolvemos reunir as principais e mais importantes para que você não perca a oportunidade de ter mais conhecimento e ainda por cima cuidar da sua saúde.

Aqui na Reslumbre nós contamos com profissionais capacitados para atender as suas necessidades, por isso, se precisa de uma limpeza dental ou até mesmo um clareamento, ligue e agende sua consulta na unidade Reslumbre mais próxima de você.

Gostou do conteúdo? Que tal compartilhar ele com seus amigos e familiares.

Dica boa a gente compartilha mesmo.

Cuidados com o curativo no dente

O curativo no dente é um selante paliativo feito, geralmente, à base de eugenol e óxido de zinco, servindo para proteger a integridade do dente contra vírus e bactérias durante os intervalos em tratamentos muito extensos quando o dentista precisa avaliar o andamento do procedimento.

Este curativo não substitui a restauração e além de possuir uma cor esbranquiçada e textura que contrasta bastante com a do dente natural, não é resistente o suficiente e para que você tome os devidos cuidados com esse tipo de curativo que nós criamos este artigo.

Quanto tempo dura um curativo no dente?

De forma geral, o curativo dura e é efetivo por apenas um curto espaço de tempo. O intervalo que demora entre uma sessão e outra do tratamento. 

O que varia entre 15 a 30 dias, no máximo!

Como cuidar do curativo corretamente:

Para cuidar do curativo no dente é necessário seguir corretamente as orientações do dentista e entre elas com certeza estará a escovação e o uso do fio dental, que são indispensáveis para manter a higiene bucal, não somente em caso de curativos.

Outra importante atitude é cuidar da alimentação e evitar comer no lado de onde está o curativo no primeiro dia, já que ele ainda precisa de um tempo para fixar completamente e evitar que o mesmo seja comprometido, arrancado ou até mesmo que o dente seja fraturado. 

 

Leia também: Cuidados com a sua saúde bucal 

O que não pode comer enquanto estiver com o curativo no dente?

Doces pegajosos e alimentos duros, como as castanhas por exemplo, devem ser evitados nessa região.

O que fazer se o curativo do dente cair:

Não há muito o que fazer no caso do curativo cair do dente, sendo a primeira orientação é contatar imediatamente o dentista responsável pelo tratamento. Somente ele poderá dizer o que fazer. 

Evite mexer;

Em hipótese alguma tente colocar o curativo de volta;

Não deixe que alimentos entrem em contato com a região;

Não execute “receitas caseiras” encontradas na internet.

Outra importante recomendação é que jamais se deve tentar tirar o curativo por conta própria! 

Se você está sentindo qualquer dor na região do curativo, novamente, procure a orientação do seu dentista. 

Atitudes tomadas por conta própria podem custar caro e provocar o agravamento da situação em que se encontra o dente.

O curativo no dente pode ser substituído por outro curativo?

Sim, mas APENAS se for recomendado pelo dentista. Da mesma forma, ele pode recomendar que você fique mais alguns dias com o curativo caso na radiografia ele note que o interior do dente precisa de mais tempo para ser manipulado novamente. 

Um curativo só é substituído por outro dentro do consultório. 

Em que casos é necessário colocar um curativo no dente?

Os curativos no dente são colocados durante procedimentos dentários, como uma restauração ou tratamento de canal. 

Servem para que o dentista avalie a saúde do dente e o mantenha protegido entre uma intervenção e outra. 

Os curativos também são necessários quando um dente quebra e é preciso colocar algo para proteger o interior do dente enquanto o tratamento definitivo é programado pelo dentista e seu paciente. 

Você pode contar com a Reslumbre!

O mais importante em todos os casos é estar amparado por profissionais que se preocupam com a sua saúde e não abandonar o tratamento. Saiba que as recomendações do dentista são sempre visando o seu bem-estar e a sua saúde. 

Aqui na Reslumbre você estará acompanhado por um conjunto de profissionais que desde o atendimento inicial até o final do seu procedimento, estarão tirando suas dúvidas e lhe dando a segurança que você precisa para voltar a sorrir.

Gostou do conteúdo? Que tal compartilhar com aquela pessoa que precisa cuidar do curativo no dente da forma correta e ainda não sabe o que fazer? 

Se precisar realizar uma avaliação dentária e iniciar o seu tratamento, você pode ir na aba “Onde Estamos” aqui mesmo no site e encontrar a unidade Reslumbre mais próxima de você. 

Conheça todos os tipos de mordida e o que elas dizem sobre sua saúde bucal

Morder é uma ação tão natural em nossa vida que nem reparamos no número gigante de tipos de mordida errada que existem por aí. Algumas nascem com a gente e outras são adquiridas com hábitos nada saudáveis ou alterações genéticas. 

Para saber identificar se o desconforto é causado por qualquer alteração na forma como os nossos dentes se conectam, continue a leitura e descubra tudo sobre o assunto de forma simples, rápida e de fácil compreensão. 

O que é mordida do dente

Para bom entendedor, meia palavra basta. A mordida do dente é como classificamos quando nossa arcada superior e inferior se encontram em ponto de descanso ou durante alguma atividade, como por exemplo, a mastigação e a fala. 

Quais os tipos de mordida

Existem diversos tipos de mordida, mas apenas uma é a certa. Pensando nisso, as categorias foram criadas e divididas para ajudar a encontrar a fonte do problema, tratar e corrigir. 

Sendo eles: mordida normal, mordida profunda, mordida aberta, mordida cruzada, prognatismo e retrognatismo.

Vamos falar sobre cada um deles separadamente ainda neste texto.

O que os tipos de mordida querem dizer sobre sua saúde

Quando a mordida está errada, suas causas podem ser genéticas (no caso da mordida cruzada, por exemplo), resultados de hábitos e também de doenças. 

Se a sua mordida está causando dores, se não está encaixando como deveria encaixar, é hora de analisar o que está acontecendo com a experiência e segurança de um profissional odontologista.

Mas o que caracteriza uma mordida normal?

Mordida normal

A mordida normal é aquela onde os dentes superiores e inferiores se encontram em um perfeito encaixe e devem cobrir apenas 1/3 dos dentes inferiores, sem diferença na distribuição de força nas arcadas laterais.  

Mordida profunda

A mordida profunda é quando ocorre uma maloclusão, onde os dentes superiores cobrem mais do 1/3 dos dentes inferiores e pode ser congênita ou adquirida. 

No caso da congênita, ela é herdada dos pais e no caso da adquirida, ela ocorre por desgastes muito provavelmente provocados pelo bruxismo. 

Mordida aberta

A mordida aberta dá a impressão de que a boca não consegue fechar direito, e realmente é o que ocorre. 

  • Mordida aberta anterior: acontece bastante com crianças que chupam o dedo polegar ou são estimuladas a sucção com as famosas chupetas. Os dentes da frente se afastam e eles nunca se tocam.
  • Mordida aberta posterior: acontece quando os molares não fecham corretamente e chegam a não se tocar e pode acontecer em um dos lados ou em ambos os lados da boca (bilateral).

Mordida cruzada

Na mordida normal, ao fechar a boca,  os dentes superiores se encaixam com os inferiores e nota-se que a arcada superior fecha levemente por cima da inferior. 

Já na mordida cruzada acontece o contrário. Quando em um dos lados (mordida cruzada unilateral) ou em ambos os lados (mordida cruzada bilateral). 

Esse tipo de mordida é ruim esteticamente e para as demais funções, já que compromete funções mastigatórias e da fala.

Saiba mais: O que é a mordida cruzada? 

Prognatismo

Prognatismo é popularmente conhecido pelo nome “queixo grande” acontece quando a arcada inferior é a mais proeminente e ultrapassa a superior. 

Retrognatismo

Retrognatismo é uma deficiência do crescimento da arcada inferior causando uma diferença da arcada superior em relação à arcada inferior. Neste caso, o queixo do paciente fica para trás e afundado.

Tratamentos

Os tratamentos para cada tipo de mordida errada consistem em intervenções coordenadas e acompanhadas por um ortodontista. Os mais comuns sendo o uso de aparelho ortodôntico  para mover os dentes para sua posição correta, as facetas e restauração dentais para devolver o tamanho correto dos dentes desgastados pelo atrito causado pelo bruxismo e ainda alguns exercícios para os músculos.

Para todos os tipos de mordida, no entanto, o mais importante é procurar a orientação do seu dentista. Tratamentos caseiros ou com outras especialidades médicas (se não recomendadas pelo dentista) não funcionam. 

Esperamos que tenha gostado do conteúdo deste artigo e que ele tenha tirado suas dúvidas sobre o assunto. Se algum dos tipos de mordida encaixou no seu caso, procure a unidade Reslumbre mais próxima de você para iniciar o tratamento agora mesmo.

Como é a anatomia do dente?

Já ficou curioso(a) sobre como é a anatomia do dente? Nós viemos para responder esta e outras perguntas acerca do nosso cartão pessoal natural. 

Vem com a gente e aprenda sobre o que é o dente, a função de cada um deles e também algumas das principais doenças que os afetam, além é claro de algumas curiosidades. 

O que é um dente

Ao contrário do que muitos pensam, dente não é osso. Sim, ele possui cálcio e fósforo em sua composição, mas infelizmente não carrega consigo a capacidade regenerativa que os ossos que sustentam o corpo humano possuem.

Uma pessoa adulta com a saúde bucal em dia possui 32 dentes e eles são os nossos responsáveis por nos permitir executar funções essenciais à vida; como a comunicação, a alimentação e a deglutição. 

Dentes de leite

Os dentes de leite nascem aos primeiros 6 meses de vida e continuam nascendo até os 6 anos de idade, onde a partir daí começa a fase de transição para os dentes permanentes. Essa transição dura até mais ou menos os 12 anos de idade.

Eles são em 20 e não estão livres das cáries. Por isso, é importante ensinar a higiene bucal desde a primeira infância. 

Função de cada dente

Os dentes em nossa boca são divididos em 04 quadrantes, separados pelas arcadas superior e inferior. E cada quadrante possui um dente incisivo central, um dente incisivo lateral, um dente canino, dois pré-molares e dois ou três molares. O terceiro molar, sendo o famoso dente siso. 

Os dentes incisivos são os primeiros que vemos em um sorriso e eles são os responsáveis por cortar os alimentos. 

Os dentes caninos, os primeiros vizinhos dos incisivos, são os que rasgam a comida.

Na sequência, temos os pré-molares que amassam o alimento e por fim, os molares trituram. 

A partir daí, nossa salivação e músculos da boca e língua fazem o restante do serviço, levando nossa comida para o canal digestivo. 

Anatomia do dente

Agora que você já sabe o que é o dente e a função de cada um dos dentes, vamos poder falar sobre a anatomia do dente

 O dente é formado por 5 camadas.

  • Esmalte (parte mais dura e que reveste e protege o dente). 
  • Dentina (segunda camada de proteção, é ali que dói quando a cárie desmineraliza o esmalte do dente).
  • Polpa (onde ficam as terminações nervosas e vasos sanguíneos).
  • Cemento (está logo abaixo da gengiva e é mais uma camada de proteção para a raiz do dente).
  • Raiz (é a vida do dente, graças a ela é que nossos dentes estão conectados ao osso). 

Problemas que podem afetar os dentes

Infelizmente, muitos são os problemas que podem afetar a saúde dos nossos dentes. Conhecendo a anatomia do dente, sabemos que se uma camada fica comprometida, todas as outras sofrem as consequências.

Vamos citar apenas alguns deles:

Um dos primeiros e mais conhecidos (e temidos) problemas que afetam a saúde bucal são as cáries. Nós já falamos sobre o que é a cárie e como tratar a cárie, aqui 

A gengivite também é outro problema que afeta a saúde de toda a nossa boca, podendo até ocasionar a periodontite que de tão irreversível é uma das principais causas da perda de um ou mais dentes.

O bruxismo é outra condição que nem está ligada à anatomia do dente em si, mas que pode provocar o desgaste do esmalte e expor o dente a outros perigos. 

Mordidas erradas provocam desgaste dos dentes, expõem eles a atrito desnecessário, além de que se não tratadas são o motivo de enormes desconfortos estéticos, funcionais e físicos. 

Curiosidades sobre os dentes

  • Nem todas as pessoas possuem o terceiro molar, ou dente siso. Ele está desaparecendo e é provável que as próximas gerações nasçam sem ele. 
  • O esmalte do dente é a parte mais dura do corpo humano.
  • Embora não possa produzir células tronco, como os ossos da medula, os dentes possuem sim células tronco.
  • As primeiras dentaduras eram criadas de dentes de humanos, comprados de pessoas, ou de prata. 
  • Os dentes de leite recebem esse nome por terem uma coloração mais branca que os dentes permanentes.

E aí? Gostou do conteúdo? Saiba que em nosso site temos muito mais informação relevante que pode te ajudar a sanar algumas das dúvidas mais comuns antes da consulta com o dentista.

Chegou a hora da consulta? Entre em contato conosco escolhendo a unidade Reslumbre mais próxima de você. 

 

A Gengivite é uma inimiga dolorosa

gengivite

Uma gengiva saudável é tudo o que queremos e para evitar a gengivite, doença que afeta este tecido, precisamos saber como prevenir, saber como ela surge e quais os tratamentos que ela necessita.

A gengivite não tratada e em casos muito avançados, pode evoluir para periodontite que, pode ocasionar a perda do dente. 

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura.

O que é a gengivite?

Gengivite é a inflamação do tecido gengival que contorna os nossos dentes e protege os ossos, a gengiva. 

Os sintomas da gengivite são:

  • Vermelhidão na gengiva;
  • Dor e inchaço;
  • Mau hálito;
  • Sangramento ao comer, escovar ou passar o fio dental.

O que causa a gengivite? 

A gengivite é um resultado inflamatório provocado pela falta de higiene bucal.

Quando comemos e não escovamos os dentes adequadamente, uma placa de bactérias se forma entre o dente e o tecido da gengiva, que com o passar do tempo provoca a inflamação.

Neste estágio, a situação ainda pode ser revertida com a limpeza dental, realizada com a remoção da placa e do tártaro no consultório do dentista. 

Leia também: Cuidados com a sua saúde bucal

Qual o tratamento para gengivite?

O tratamento para gengivite é rápido e na maioria das vezes indolor. O dentista vai realizar a limpeza e remoção da placa bacteriana e orientar a correta higienização para que a inflamação não volte. 

Alguns medicamentos podem ser receitados se a inflamação estiver muito avançada. Anti-inflamatórios, enxaguantes bucais específicos e até mesmo antibióticos podem estar na receita. 

Se não tratar, o que acontece?

Infelizmente, se a gengivite não for tratada a tempo e da forma correta, a inflamação pode se estender até as partes mais profundas da gengiva, enfraquecendo e criando espaços (bolsões) entre o dente, o osso e a gengiva. 

Neste estágio dificilmente é possível reverter as consequências, nesta fase pode ser necessária a intervenção cirúrgica para remoção do dente e tratamento do tecido profundamente inflamado.

Os sintomas mais comuns da periodontite, são:

  • Sangramento espontâneo da gengiva.
  • Pus.
  • Retração na gengiva.
  • Mau hálito
  • Amolecimento dos dentes.
  • Escurecimento da gengiva.

A erosão provocada por esse processo inflamatório é tão grave que os dentes podem acabar caindo espontaneamente, pois o osso ao redor do dente sofre reabsorção e pode se separar da gengiva, pois fica sem suporte já que os danos da inflamação provocada afeta o periodonto, o tecido que protege e sustenta o dente.

Fatores de risco para gengivite.

Entre os fatores de risco que podem provocar a doença, o mais famoso é a falta de higiene bucal adequada, porém, cigarro, baixa imunidade e diabetes são alguns fatores que podem provocar a gengivite. 

Por isso, é recomendado que todos os anos, as pessoas vão até o consultório para avaliar se há a formação de placa bacteriana entre a gengiva e o dente. 

Este cuidado preventivo é o que protege e ainda pode evitar muitos casos com resultados indesejáveis. 

É importante ficar de olho: O que é cárie e como tratar?

Como prevenir

Para prevenir esta doença, os seguintes hábitos devem ser seguidos:

  • Visitas regulares e periódicas ao dentista;
  • Higiene bucal adequada;
  • Uso de fio dental;
  • Evite o tabagismo;
  • Mantenha uma alimentação saúdavel;
  • Menos consumo de açúcares.

A periodontite

periodontite

A periodontite é a grande vilã que devemos evitar a todo custo. Por isso, não ignore se os sintomas forem muito graves e ainda vierem acompanhados de mau hálito e sangue na saliva.

É normal que vez ou outra, se escovamos com força exagerada ou passemos o fio dental sem muito cuidado, um sangramento acabar acontecendo, mas isso é coisa de uma vez e não a cada escovação ou que ainda provoque desconfortos ao mastigar os alimentos. 

Encontre a Reslumbre mais perto de você!

 

Gostou do conteúdo? Aprendeu alguma coisa interessante que vai te ajudar a identificar uma doença e saber relatar ao dentista os sintomas que a caracterizam?

Conta pra gente nas nossas redes sociais.

O grupo Reslumbre é a rede de clínicas odontológicas que mais cresce no Brasil, temos unidades em mais de 11 cidades e 5 estados brasileiros. 

Para encontrar a Reslumbre mais perto de você e tratar a gengivite no momento certo, clique na aba “Unidades” aqui mesmo em nosso site e veja a Reslumbre mais próxima de sua casa. 

Para agendar uma avaliação, basta entrar em contato nos telefones também disponíveis aqui ou em nossas redes sociais.